Como chegar a Algodoal

Você já ouviu falar que Belém é cercada de 42 ilhas, né verdade? Algumas delas nem mesmo receberam nomes ainda e várias são inexploradas. Pois bem, para muito além dessas ilhas próximas existe um pequeno paraíso paraense em que o tempo passa de outra forma.

E você vai dizer “ah, mas vocês já falaram que o Marajó é assim também!”. E isso não deixa de ser verdade. Os locais mais “escondidos” do Pará ainda passam uma sensação de tempo mais raro.

Quando você chegar a Belém, dependendo de quanto tempo vai ficar, programe uma ida a Algodoal, não tem como se arrepender. Vem conhecer com a gente.

Algodoal: conheça a ilha

Algodoal é uma das vilas da Ilha de Maiandeua, no nordeste do Pará. Sua pequena extensão – são apenas 19km quadrados – somada à beleza de suas praias e seu clima dão a ela um ar paradisíaco.

Quem gosta de natureza e aventura vai amar Algodoal: trilhas ecológicas, passeios de canoa, transporte em charrete – não entra carro na ilha – garantem a experiência. A ausência de veículos motorizados na ilha de deve ao fato de, desde 1990, ela ter se tornado Área de Proteção Ambiental.

Outras vilas que fazem parte de Maiandeua com Fortalezinha e Mocooca também são conhecidas pelos turistas, que exploram os arredores de Algodoal. Vale a pena: cada localidade tem sua peculiaridade e é um espetáculo à parte.

Prepare-se para competir pelo espaço com turistas, pois a fama da beleza de Algodoal a fez ser uma das áreas mais disputadas durante o verão paraense.

O que tem de diferente em Algodoal?

Antes de 2005, luz elétrica não existia na vila. Isso fez com que Algodoal fosse vista, ainda mais, como um pequeno paraíso. Qualquer coisa que remeta a cidade grande foge do que é a ilha: as instalações são rústicas e a natureza impera.

No entanto, muita gente jovem povoa a ilha, principalmente nas férias de julho e em datas como Ano Novo. Carimbó e tecnobrega disputam, seriamente, o espaço com reggae, som muito ouvido em Algodoal.

As praias da ilha são as principais atrações. A Praia da Princesa é uma das mais visitadas e conhecidas – chega-se a ela depois de uma caminhada partindo do centro de Algodoal.

O Lago da Princesa é uma atração do tipo “você-tem-que-ver”. Com águas bem escuras, duas trilhas levam a ela. Basta escolher de acordo com seu nível de resistência cardíaca!

Como chegar a Algodoal saindo de Belém

Para chegar a Algodoal, você deve pegar um ônibus ou van de Belém a Marudá. O terminal rodoviário de Belém fica no bairro de São Brás, do qual já falamos um pouco . São 4 horas de viagem, mas acalme-se: vai valer a pena.

Após pegar o ônibus até Marudá você vai pegar um barquinho até Algodoal. Fique atento aos horários das embarcações: saiba previamente ao chegar em Marudá. Ao chegar na Ilha de Algodoal, você pode ir até sua hospedagem a pé ou de charrete. A viação Princesa Morena é uma que faz a viagem Belém-Algodoal. O preço é, em média, R$34.

E a hospedagem? Vale a pena ficar em um hostel?

Vale. Vale muito a pena, principalmente se você vai conhecer mais de um lugar no Pará – Belém e Algodoal, por exemplo. Vale a pena ficar num hostel em Belém assim como em um hostel em Algodoal. São muitos os motivos pelos quais vale a pena ficar num hostel. Alguns deles:

  1. Economia: os valores praticados por um hostel são via de regra mais acessíveis que hotéis
  2. Amizades: caso você chegue em Belém sozinho(a) não vai tardar a encontrar alguém num hostel que esteja disposto a explorar o Pará. Amizades de viagem são algo que você deve experimentar fazer nessa vida.
  3. Autonomia: em um hostel você pode usar a cozinha quando quiser, por exemplo, o que deixa sua vida muito mais fácil na hora de economizar, conhecer os costumes de consumo do local, além de poder preparar sua comida como quiser, sem depender de ninguém.
  4. Equipe amiga: é muito comum que hóspedes criem amizades com a equipe de um hostel. Isso porque todo mundo está em clima de amizade e de conhecer as histórias um do outro. Ter essa amizade garante, também, uma conversa mais aberta sobre todas as vantagens e desvantagens de roteiros, além de trocas de relatos que podem ajudar muito na sua viagem.

 

Saiba mais sobre:

Como escolher a melhor hospedagem para você

Por que viajar a dois é uma grande ideia

4 viagens pelos rios da Amazônia

Balneários no Pará: conheça

visitar belem

Visitar Belém é quente: saiba mais sobre o calor do Pará

 

Se você decidiu visitar Belém, já sabe: mais quente do que a dança da Joelma, mais brilhoso que o figurino da Gaby Amarantos, o calor paraense é quase uma entidade, um “ponto turístico”, um “tem-que-ver”.

Perto da imaginária Linha do Equador, a capital paraense que é famosa pela chuva diária, nunca oferece frio para quem vem visitá-la. Ao contrário: se você gosta de tropicalismos, visitar Belém vai enriquecer sua história.

Saiba o que trazer na bagagem, o que fazer em Belém quando o calor apertar e quais são os hábitos básicos dos paraenses e moradores da cidade que fazem o calor ser apenas mais um charme para quem vem visitar Belém.

 

Por que Belém é quente?

Vários fatores influenciam na sensação térmica que você vai ter quando visitar Belém. Um deles é o fato de Belém estar próxima à Linha do Equador – quanto mais próximas são as regiões dessa linha imaginária, mais quente ficam.

Outra característica da região é a umidade. Por ser cercada de rios e com uma flora bem presente, Belém é úmida – por aqui a chuva é quase diária, o índice pluviométrico vai às alturas. Isso também faz a sensação de calor, aquele “abafado” ficar mais forte.

Por fim, Belém, apesar de ter muitas mangueiras que lhes rendeu, inclusive, o apelido de Cidade das Mangueiras, é uma cidade pouco arborizada de forma geral. Poucas árvores, pouca proteção contra a incidência de raios solares.

 

Visitar Belém em julho: temporada de calorão

Agora, não é por que Belém é super quente que não dá pra tirar proveito disso. PAra quem não gosta do frio, pode ser o lugar ideal para parras as férias, um feriadão, um fim de semana ou mesmo uma temporada.

A época em que há menos chuvas e o calor se faz presente e menos úmido é de junho a setembro. Nessa época, as temperaturas da cidade chegam a quase 40 graus. É bom visitar Belém preparado com chapéu, protetor solar e uma boa garrafa d’água a tira colo.

Aproveite a temporada de férias

Por coincidir com o período de férias escolares, julho acaba sendo a época em que, tanto Belém quanto outras cidades e, principalmente, balneários no Pará,   tudo fica muito disputado.

No entanto, é inegável: visitar Belém em julho é uma experiência maravilhosa. Se você gosta de badalação, as praias de Salinas, Algodoal, Mosqueiro estão sempre cheias, tanto de manhã quanto à noite.

Se você for aproveitar para viajar com a família, consegue ir a locais com menos badalação, mas com paisagens paradisíacas e locais para crianças brincarem, como o Marajó.

Saiba mais sobre com chegar ao Marajó

 

Do que você precisa para amenizar o calor ao visitar Belém

Bom, agora que você sabe de tudo isso, saiba, também, ao visitar Belém que algumas características de outros locais turísticos do Brasil não se repetem na capital do Pará.

Uma delas é a necessidade de banho quente. Algumas pessoas escolhem sua hospedagem ideal baseando-se na preferência por locais que tenham banho quente. Esqueça isso em Belém, principalmente nesse período: a última coisa que você vai precisar é de chuveiro com água quente.

Outra característica é que ao visitar Belém, terá a oportunidade de viajar leve: as roupas não precisam, definitivamente, de peso. O que você pode fazer é investir em itens como chapéu ou boné, protetor solar, sombrinha (ou guarda-chuva, como você preferir chamar).

 

E aí? Se animando para a viagem? Belém é fantástica e as cidades do interior do Pará também. Monte seu roteiro e, caso, precise da nossa ajuda, é só perguntar.

balnearios no para

Balneários no Pará: conheça os mais próximos de Belém

 

 

Passar uma temporada em Belém, sejam férias, um fim de semana, uma semana inteira, já é uma experiência fantástica. Isso por que tem muita coisa pra fazer na cidade: desde pontos turísticos históricos, a locais para contemplar a natureza até baladas com direito a música regional.

Mas, o Pará é um estado muito grande e você vai perceber que só Belém não vai ser suficiente: vai querer mais. Mas, em 3 dias de viagem dá pra sair da cidade? Dá pra conhecer outros lugares? Dá pra conhecer balneários no Pará?

Sim, dá!

Você precisa saber que os balneários paraenses não se resumem a praias, ou melhor, têm praias, mas elas são em sua maioria fluviais, o que é inacreditável para alguns turistas e existem também os igarapés, pequenos braços de rios que as pessoas aproveitam para se refrescar.

A gente separou os balneários no Pará mais legais para você conhecer, se você for ficar um fim de semana, uma semana ou mesmo uma temporada maior em Belém. Vem com a gente!

 

Para quem vai visitar Belém em 3 dias – Outeiro, Mosqueiro e Cotijuba

Apenas alguns minutos de carro separam Belém dessas localidades, que têm suas características específicas. Ambas podem ser acessadas tanto de carro quanto de ônibus de linhas comuns da cidade, saindo do centro e dá pra ir e voltar no mesmo dia.

Saiba mais sobre por quê se hospedar no centro de Belém é o melhor pra sua viagem.

Outeiro: é o balneário mais próximo de Belém. O mais econômico para chegar também: são apenas 30 km do centro da capital paraense até chegar à praia. Partindo do centro, as rodovias Arthur Bernardes e a Augusto Montenegro levam até a estrada de Outeiro.

Mosqueiro: recebe o apelido de “bucólica” e quando você chegar lá vai entender o por quê. A ilha é toda arborizada e com algumas casas encantadoras. A rua principal – 16 de novembro – é bem movimentada e tem soluções de comércio para tudo. Suas praias são de rio, mas têm ondas! Para chegar à bucólica, tem que pegar a BR 316 e, após passar por alguns municípios como Santa Isabel, você vai atravessar a ponte em que vai perceber como nossos rios são grandiosos e a natureza agraciou o Pará. Da ponte à praia são 20 km. Depois é só sentar numa mesinha de um dos bares e apreciar a vista, tomar banho de praia, construir seu castelinho de areia e fazer muitas fotos.

Cotijuba: é uma das 42 ilhas que formam o arquipélago que circundam a enseada que é Belém. Assim como ir à Ilha do Combu é super rápido, para chegar a Cotijuba basta, apenas, atravessar o rio. As águas, da Baía do Guajará e do Marajó são deliciosamente mornas. São 15 km de praia e o melhor: o local é o paraíso para quem quer menos badalação. O nome significa “ilha dourada” e não é tão conhecida como outros balneários. Para chegar é simples: saindo de Icoaraci (basta pegar um ônibus do Centro de Belém) de barco. Existem embarcações mais simples (os chamados pôpôpô – R$5), navio da prefeitura saindo às 9h (de R$3,10 a R$6,20). Lá na ilha dá pra se movimentar e bondinho, charrete e moto táxi.

 

Para quem vai visitar Belém em 1 semana – Salinas

O “Sal”é um dos balneários mais badalados no verão. Com cara de cidade mais desenvolvida que os outros balneários, recebe atrações, shows nacionais e é garantia de diversão pra galera mais jovem.

A gente sugere que se visite Salinas para quem vai ficar 1 semana por causa da distância e da extensão da localidade. As praias são imensas e você pode entrar em algumas de carro, estacionar lá e – tendo cuidado com a maré – ficar até mais tarde degustando a culinária local em um dos vários restaurantes à beira-mar.

Salinas está a 4 h do centro de Belém e tende a ficar bem cheia durante o verão e épocas festivas como ano novo, recebendo atrações nacionais e até mesmo internacionais. O forte do lugar são as baladas, mas dá pra aproveitar a natureza também. O por-do-sol nas praias de Salinópolis garantem fotos impressionantes.

 

Para quem vai visitar Belém por mais de 7 dias – Algodoal e Marajó

Agora sim: um lugar pra você ficar um tempo. Não que eles sejam maiores, mas Algodoal e Marajó são locais mais afastados que outros balneários, então demandam uma logística mais, digamos, pensada.

Algodoal: a ilha do amor. A extensão de areia das praias de Algodoal e o Lago da Princesa são impressionantes. Dizem que quem vai ao balneário se apaixona. Não é para menos: lá não entra carro, o tempo passa devagar e, apesar de muito mais badalado hoje em dia que antigamente, ainda conserva uma aura paradisíaca. Para chegar em Algodoal, você vai por terra até Marudá e pega uma embarcação até a ilha. São aproximadamente 4 horas de viagem, mas vale a pena ficar alguns dias – caso queira conhecer Marudá também, a viagem fica completa.

Marajó: a Ilha do Marajó dispensa apresentações para muitos turistas. Na verdade, muitos vêm a Belém já de olho nesse balneário. Soure e Salvaterra são algumas das cidades do Marajó. E a gente tem um texto todinho sobre a Ilha aqui.

Se você resolver tomar a acertada decisão de conhecer os balneários paraenses – e não vai se arrepender disso – aproveita pra vir no verão. O período de julho é o mais disputado, mas o sol fica arredio até meados de setembro. É bem quente, mas em compensação, por estar mais seco, com menos chuvas, dá pra aproveitar bem!

Se precisar de qualquer informação, já sabe que pode contar com a gente, né?

O que fazer em Belém: 4 baladas que vão animar sua viagem

4 espaços que vão mudar sua ideia de o que fazer em Belém

 

 

A gente já fez aqui algumas listas muito bacanas sobre o que fazer em Belém. Já falamos sobre lugares fora de rota na cidade, já indicamos 3 mini-roteiros para curtir à sua maneira, já demos dicas muito especiais sobre o que fazer na cidade e muito mais.

Belém é uma cidade muito plural, como já dissemos: quem viaja sozinho se dá super bem, assim como quem viaja com o (a) parceiro (a), com os amigos, com a família.

É por que, além dos pontos turísticos, existem muitas opções para quem gosta de natureza, para quem gosta de comer bem, para quem quer dar um passeio com as crianças e, também, para quem quer curtir a música e a boemia da cidade.

Aqui no Belém Hostel, a gente sempre incentivou os hóspedes a conhecerem não só o dia a dia da cidade, mas os locais que os moradores da cidade frequentam à noite, pra dançar, se divertir.

A cena musical da cidade é super rica e não estamos falando só do já famoso tecno brega, de Joelma, Gaby Amarantos ou Jaloo. Alguns locais de Belém são super jovens e oferecem muito da tradicionalidade da música da Região, misturada a juventude dos frequentadores.

Separamos aqui 4 locais parceiros do Belém Hostel – os quais já citamos – que vão mudar a sua visão sobre Belém, dar muita vontade de arrumar logo as malas e decidir de vez o destino da sua viagem sabendo que vai se divertir muito desde a manhã até a noite.

Redefina o que fazer em Belém: Coisas de Negro – o que fazer

Localizado no distrito de Icoaraci, o Coisas de Negro é um espaço cultural em que o carimbó impera. O espaço é, reconhecidamente, mais do que um local para curtir o ritmo paraense, é um ambiente em que as raízes culturais – que incluem musicais – do Pará estão presentes a todo momento.

É raiz mesmo!

O carimbó é uma dança de roda de origem indígena com influências afro e portuguesas. Nele, um homem “ galanteia” a mulher, que veste uma bonita saia longa, de chita. Quem quer saber mais sobre essa parte da cultura paraense, vai adorar conhecer o Coisas de Negro.

Quando o que fazer em Belém é festa: Lambateria

A Lambateria é uma festa latino-amazônica que caiu no gosto dos paraenses. Pudera: desde 2016 ela acontece toda semana, cheia de cores, tem muita mistura. Mistura de jovem com a galera das antigas, a mistura de música tradicional com o que há de mais novo do som mundial.

Essa festa fenomenal tem ocorrido no La Musique e reúne gente que anda fazendo sucesso no país como Gaby Amarantos. Ela acontece toda quinta e é comandada pelo produtor musical e guitarrista Félix Robatto.

Um bar cheio de arte: Ouriço

Bar, arte, espaço de reunião da galera antenada, o Bar Ouriço fica numa praça em localização super central de Belém – a poucos metros do Belém Hostel -, bem no coração do comércio.

Próximo do Ver o Peso, em frente a uma praça, o bar se estende para além do próprio ambiente: mesas e cadeiras se espalham pela praça. Dentro da casa, a cozinha produz deliciosas iguarias como pastel de camarão.

É uma ótima pedida pra noite de sexta ou sábado, num clima tranquilo.

Quando o que fazer em Belém é ter muita opção: Apoena

O Apoena é um bar que funciona quase a semana inteira. Por isso, se você for ficar mais ou menos tempo em Belém, não importa: ele pode entrar no seu roteiro sem problemas.

Tem serviços de restaurante (abre às 11h) e bar, com festas de música paraense.

É um dos bares mais badalados pelo pessoal mais jovem da cidade e tem uma variedade de sons regionais que vão da guitarrada ao carimbó passando por forró e noites tropicais.

 

Como a gente sempre diz, Belém é um celeiro de novidades e cultura típica. Dá pra misturar tudo e a mistura é sempre muito boa.

Tá vindo pra cidade e quer saber mais sobre esses lugares? Fala com a nossa recepção, a gente pode te ajudar.

Ah, se você se hospedar no Belém Hostel, tem desconto na entrada de cada um desses lugares. Mais uma vez: é só falar com a gente.

 

o centro e o melhor lugar onde ficar em belem

Descubra por que o centro é o melhor lugar onde ficar em Belém

 

 

Quem decide passar um tempo na capital do Pará pode ter algumas dúvidas quanto a onde ficar em Belém, onde se hospedar, como é melhor se movimentar, como é a melhor forma de chegar – especialmente se você vem de muito longe.

A gente já “dividiu” a cidade de acordo com as características da sua viagem, já mostrou pra você as melhores formas de se hospedar em Belém. Agora, a gente vai mostrar pra você por que, entre os lugares pra escolher na Cidade das Mangueiras, o Centro da cidade ganha disparado das outras localidades.

 

Acesso rápido a pontos turísticos

A maioria dos pontos turísticos famosos em Belém estão no Centro. Não importa e a sua viagem é rápida – 2 ou 3 dias – ou se você vai ficar mais de uma semana, pontos turísticos famosos são aqueles lugares que você não quer perder e ter um lugar onde ficar em Belém perto deles é uma mão na roda.

 

Ver o peso 

A maior feira a céu aberto da América Latina tem muito do Pará: ervas, peixes, frutas, cerâmica marajoara. Tem muito pra você aproveitar por aqui e pra levar como souvenir também.

Estação das Docas

Ao lado do Ver o Peso, um complexo de restaurantes, um ambiente para exibição de filmes, peças teatrais e outros. A Estação das Docas é ideal para aquele finzinho de tarde.

Theatro da Paz

Numa bem central, o Theatro está cercado pela Praça da República. É um ponto turístico estilo “tem que ir”, tanto pela sua beleza quanto por sua

Forte do Presépio

O forte que foi a entrada da cidade. Se você quer um lugar onde ficar em Belém próximo a pontos turísticos históricos tem mesmo que ser o centro da cidade. O Forte está na Cidade Velha, principal bairro histórico de Belém.

Mangal das Garças

O Mangal é um grande complexo natural de Belém- super próximo do centro -, onde você encontra um borboletário com milhares de espécies, garças (claro) e outros pássaros da região. Além de tudo isso, uma amostra considerável da flora amazônica e um restaurante renomado, o Mangal das Garças estão no Complexo.

Basílica de Nazaré

Uma das principais igrejas da cidade. É para lá que  vai a imagem de Nossa Senhora de Nazaré no Círio. Imensa, cheia de ornamentos e detalhes, a Basílica é um dos pontos turísticos que estão ali no meio: entre a religião e a arquitetura.

 

Aos amantes da fotografia: Cartões Postais

Pra quem é amante de lindos horizontes e belos cartões postais, ficar no centro da cidade é uma boa pedida.

Por do sol na Estação das Docas:

Um dos lugares ideais pra captar um belo por do sol é na Estação das Docas. Aproveite para, depois dar uma paradinha e degustar um chopp de Bacuri – a gente já falou sobre esse rolé aqui.

Igrejas da Cidade Velha:

A suntuosidade do estilo barroco – presente em grande parte da cidade – nas igrejas de Belém é, realmente, impressionante. Você vai estar bem próximo (a) da Igreja da Sé, da Basílica, da Igreja do Carmo, entre outras.

O Centro é centro de atrações culturais

Curro velho:

A Fundação Curro Velho, além de um espaço super agradável – com biblioteca – tem exibição de filmes, cursos com temas regionais (caso você for ficar um tempo a mais). Para quem quer saber mais da cultura do Pará é uma boa pedida

Centur: 

Na mesma linha do Curro Velho, o Centur é uma atração à parte para quem busca cultura: tem cinema, biblioteca, espaço para eventos como feiras e arraiais.

Olympia: 

O Cine Olympia é o cinema de rua em funcionamento mais antigo do Brasil. Há algum tempo atrás quase foi vendido, mas por movimentos sociais de vários setores, acabou continuando o que é: um grande cinema. Hoje em dia exibe amostras de filmes de todas as nacionalidades e tem entrada gratuita.

| Arraial do Pavulagem

Durante o período de julho – férias e muito sol – e também durante o Círio, um movimento muito interessante acontece no centro de Belém. A banda Arraial do Pavulagem arrasta uma multidão desde a escadinha – perto da Estação das Docas – até a Praça da República, onde para e faz seu show. Muito alegre e colorida vale a pena fazer parte.

Fique perto da arquitetura histórica

O centro está ao lado da Cidade Velha, o bairro histórico da cidade. Igrejas e praças podem ser contemplados no bairro. Ao andar pela Cidade Velha – com cuidado, já que alguns pontos podem ser perigosos, principalmente à noite – você vai ver a arquitetura de Antônio Landi, o rio Guamá e muita história.

A Cidade Velha tem um porto de onde saem embarcações para alguns locais no interior do Pará e vale a pena dar uma olhada nas saídas. Suas ruas charmosas pequeninas e também são uma atração à parte.

Ficar no centro é facilidade de locomoção

Comércio:

No centro de Belém existe o comércio da cidade. Ou seja, além de ter o Ver o Peso, que é uma feira, você tem pertinho o comércio, caso precise de outros produtos não tão regionais e que podem fazer falta na sua bagagem, caso você tenha esquecido algum item importante.

Principais linhas de ônibus: 

Se você tem um lugar onde ficar em Belém no centro ou próximo do centro, fique tranquilo(a), estará bem servido(a) de transportes coletivos – caso você não queira se locomover de Uber ou Taxi.

Na Av. Presidente Vargas – uma das principais do centro e que liga o início do Ver o Peso ao comércio e bairros mais nobres como Batista Campos e Nazaré – as principais linhas de ônibus circulam. A maioria vai até São Brás, onde está localizada a rodoviária da cidade.

Acesso rápido a rodoviária, aeroporto e cais:

Como dissemos, a rodoviária tem rápido acesso pela quantidade de ônibus. Mas, se  seu lance for aeroporto, uma viagem do centro a Val de Cães – bairro onde está localizado -, de Uber, não custa mais d que R$25 (claro, que há uma variação).

Um lugar onde ficar em Belém, bem no Centro da cidade

O Belém Hostel é localizado estrategicamente no centro da cidade. Melhor ainda: ele é localizado no centro do Centro. Isso por que, além de ser próximo ao lado de uma praça verde muito famosa – a Praça a República – e do cinema mais antigo do país, por exemplo, está a pouquíssimos quilômetros da Visconde de Souza Franco com a Pedro Álvares Cabral – via direta para o aeroporto.

O seu hostel em Belém também é o melhor lugar onde ficar em Belém, porque está quase na esquina da Av. Presidente Vargas, ao lado do comércio da cidade, a 7 minutos do Ver o Peso, da Estação das Docas e a 10 minutos do principal porto da cidade.

Quando é Círio, a procissão passa pertinho  e as festas do período – como o Auto do Círio e as Festa da Chiquita – acontecem todas muito próximas do Belém Hostel.

Escolha sua hospedagem em Belém. Reservar um quarto aqui no Belém Hostel é bem fácil. Se precisar de alguma informação a mais, pergunte pra nossa recepção.

aline e eldred em viagem a dois

Como um casal se apaixonou por Belém numa viagem a dois

Aline é uma publicitária, maquiadora e criativa. Seus cabelos vermelhos, várias tatuagens e sorriso largo não negam que ela é uma explosão de alegria – cheia de felicidade e atitude, a carioca de 32 anos ama festejar e encontrar amigos.

Eldred é um capixaba na dele, super tranquilo. Prefere ficar em casa, tomando uma cervejinha e jogando seu video game.

O que eles têm em comum? Amam rock, amam novas experiências e amam um ao outro. Ah, e eles também se apaixonaram por Belém juntinhos. Na viagem que durou uma semana conheceram vários cantos da cidade, aprenderam sobre a culinária local, fizeram um passeio de barco, a uma comunidade do interior e contam como é uma viagem a dois para Belém.

Uma viagem a dois precisa de um motivo

O motivo da viagem a dois do Eldred e da Aline ter como destino Belém é simples: a Aline morou por algum tempo na cidade quando adolescente e começou a gostar de Belém logo que foi embora. Isso  porque as lembranças da cidade eram muito vivas: ela deixou amigos por aqui e acabou indo sem conhecer muitos pontos turísticos e locais especiais da cidade.

Conhecer Belém requer tempo. Ok, você pode fazer um roteiro rápido – como nosso casal aqui –  fazendo alguns passeios e conhecendo alguns lugares, mas é muito interessante ficar um tempo a mais, ir além dos pontos turísticos e visitar pontos alternativos, que às vezes são mais famosos entre entre os moradores da cidade.

A Aline, por exemplo, chegando a Belém, lá no começo dos anos 2000, se surpreendeu com o tamanho da cidade. E isso é algo que muitos turistas relatam: Belém é uma mistura de natureza e urbanidade, muito maior do que esperavam e com um povo muito acolhedor. Enquanto é coberta de árvores e cercada de belezas naturais, tem todos os benefícios de uma cidade grande.

Belem Hostel: Faltou algo na cidade? Ela supriu as expectativas?

Eldred: “Eu não senti falta de nada. Fui com a ideia que Aline plantou em mim sobre Belém. Tudo o que eu imaginava tinha.”

Uma viagem a dois tem história pra contar

Chegar a Belém com um plano é muito importante. Isso porque a cidade é muito plural, tem muita coisa diferente pra fazer e por diferente queremos dizer: diferente de tudo que você já viu. Prepare-se para explorar locais verdes, para provar sabores incríveis. Decida antecipadamente onde quer ficar, isso é estratégico em relação ao que vai conhecer.

Saiba mais sobre onde ficar em Belém.

A Aline e o Eldred ficaram encantados com essa pluralidade.

Belém Hostel: O que mais encanta vocês nessa vaigem para Belém?

Aline: “Eu sou encantada pela culinária e pelos rios.”

Eldred: “A proximidade da cidade com a natureza e a culinária diferente.”

Por falar em culinária, esse é um capítulo à parte em Belém. Nosso casal que o diga. Foram dias de grandes experiências gastronômicas, sabores, cheiros, texturas. A culinária de Belém e a forma como o paraense se relaciona com a comida é uma viagem cultural na qual você tem que embarcar.

Uma viagem a dois tem grandes memórias

Dentre os passeios que Aline e Eldred amaram está o passeio à comunidade do Acará, uma cidadezinha no interior do Pará que pode facilmente entrar num roteiro de quem faz uma viagem para Belém, até em um dos mais curtos.

Segundo a carioca, “Foi algo super diferente tanto pra mim que já conhecia o Pará, quanto pro Eldred. Tivemos a oportunidade de fazer um passeio lindo de barco, conhecer um pouco da cultura do cacau e da floresta amazônica a poucos minutos de Belém. Recomendamos!”

Conhecer novos lugares, como já dissemos anteriormente, garante a todo mundo grandes memórias. E memórias compartilhadadas com quem se ama têm um gostinho todo especial.

A viagem que a Aline e o Eldred fizeram à comunidade do Acará valeu muito a pena: a 20 minutos de Belém, eles viram – além de muito rio, muita água – como um verdadeiro paraense colhe o açaí (amarrando os pés e lançando o corpo contra o açaizeiro, subindo tão rápido que chega a ser inacreditável.

Uma viagem a dois para Belém dá vontade de voltar

Os namorados curtiram Belém de todas as formas, se surpreenderam com vários detalhes. É muito difícil decidir o que é mais bonito: a natureza ou os traços urbanos de Belém.

O Eldred se apaixonou pelos dois: ” A parte urbana e histórica é muito rica. As igrejas são lindas e a Cidade Velha também. A natureza é única. Tivemos a oportunidade de ver um rio de uma magnitude surpreendente bem à margem da cidade, muito acessível. Entramos na mata, conhecemos algumas plantas típicas da floresta amazônica e tivemos contato com a população ribeirinha.”

E a vontade de voltar vai além de qualquer percalço que eles possam ter sentido. Para os dois, ainda existem possibilidades de melhoria na hora de a cidade receber turistas, mas que isso não é o que marca mais. Eles dizem que a cidade “tem bastante a oferecer. Muitos restaurantes e bares pra todos os gostos e um patrimônio cultural riquíssimo. Vale muito a pena a visita!”

A viagem da Aline e do Eldred deixou memórias lindas para os dois. Belém é um espetáculo. Vir com seu amor é melhor ainda. Se você já decidiu por ficar no centro da cidade, vai ser um prazer ser seu hostel em Belém.

Aproveite a promoção do Dia dos Namorados que vai até fim de junho. Reserve a partir de 3 dias no Quarto Bacuri com seu amor e ganhe uma das diárias. As reservas podem ser feitas para o ano todo (exceto Círio, Natal e Ano Novo). É só pedir a reserva aqui.

Viagem para Belém a dois: saiba onde ir com seu amor

Foto: @rafaelaraujopa

Você e seu ou sua parceiro(a) decidiram viajar. E isso por si só já é uma grande decisão: viajar a dois só tem a acrescentar na sua relação – vocês vão descobrir novos lugares, ter novas histórias e se redescobrir de várias formas.

E Belém é uma cidade ideal para ser cenário dessas novas histórias. Uma viagem para Belém vai ser cheia de locais históricos, urbanidade e peculiaridades paraenses. A Cidade das Mangueiras, como é carinhosamente chamada, pode ser uma bela surpresa para quem viaja com seu amor. Vem saber o que curtir a dois.

 

O por-do sol é mais bonito na Estação das Docas

A Estação das Docas é um complexo em que vocês vão encontrar gastronomia, música, cinema, lojas locais e muita história. Não bastasse isso, esse ponto turístico em plena área central de Belém. tem uma vista maravilhosa para  Baía do Guajará.

Ao chegar na cidade, uma grande pedida é chegar lá pelas 17h. Isso por que o por-do sol é magnífico e você pode aproveitar tomando uma cerveja artesanal de bacuri, por exemplo, no Amazon Beer. Ao cair da noite ainda pode continuar o romantismo jantando em um dos vários restaurantes que o ambiente tem.

Funciona de 10h a 01h

 

Uma viagem para Belém romântica e cheia de história: o Theatro da Paz

O Theatro da Paz pode ser um ponto alto na história de vocês dois: a primeira casa de espetáculos construída na Amazônia foi inaugurada em 1878 e é encantadora. Se vocês gostam de história e uma arquitetura cheia de detalhes riquíssimos, essa pedida pode apaixonar.

A decoração do Theatro da Paz é revestida em ouro, o piso é em madeira nobre e os lustres são de cristal. Na sua viagem para Belém dê uma pesquisada sobre os espetáculos que o Theatro irá receber no período. Se precisar, a nossa recepção pode ajudar.

Com  mais de 1000 lugares disponíveis, a agenda sempre tem boas opções. O Festival de Ópera, por exemplo, acontece geralmente entre agosto e setembro.

Horários da visitação. Terça a Sexta das 09h às 17h (no intervalo das 13h às 14h não haverá visitação). 09h às 12h – Sábados. 09h às 11h – Domingos.

 

Um jantar a dois: o Remanso do Bosque

Já que vocês estão se planejando, um dos restaurantes mais renomados da cidade pode ser cenário para um jantar romântico. O Remanso do Bosque, do chef Tiago Castanho tem pratos com ingredientes típicos de Belém, com ambiente aconchegante e sabores muito memoráveis.

Chegue um pouco mais cedo pois, caso vocês estejam em Belém num fim de semana prolongado, e cheguem numa sexta, o restaurante pode ficar bem disputado. Sempre inovador, o cardápio tem peixes da região, sobremesas com frutas do Pará tudo com um toque moderno. De lá vocês também podem levar lembranças como cachaças de jambu, chocolate da Ilha do Combu entre outros.

 

Pra namorar que nem paraense: Praça Batista Campos

Costuma-se dizer em Belém que namoro mesmo só é namoro se for na praça. Tem que namorar no banquinho da praça. E tem que ser na Praça Batista Campos. Famosa por seus coretos, garças e árvores imensas, a Praça Batista Campos é um dos pontos turísticos de Belém que vocês têm que visitar juntos.

Além de namorar no banquinho, vocês vão ter a viagem para Belém  marcada pelo passeio descompromissado, à tarde, uma água de côco pra refrescar ou mesmo um sorvete regional – tem uma Cairu, sorveteria famosa da cidade bem pertinho.

Ah, mas tem que passear de mão dada e tudo, tá? Se não não vale!

Uma viagem para Belém pode ser uma grande pedida para vocês que já decidiram viajar juntos. Se vocês forem ficar mais tempo, podem fazer uma visita deliciosa à Ilha do Combu. Caso sejam aventureiros, naveguem os rios da Amazônia.

Tem muitos outros lugares pra explorar a dois em uma viagem para Belém. Vem! É muito amor <3 Depois que você conhecer, conta pra gente como foi, hein! E se você já conhece, compartilha com a gente sua experiência.

Saiba mais:

O que fazer em Belém

Onde ficar em Belém

Lugares alternativos em Belém

4 lugares verdes em Belém

viagem a Belém

Por que viajar a dois é uma grande ideia <3

 

Planejar uma viagem demanda entusiasmo e muita paixão: você vai encontrar percalços, diferenças culturais surpresas nem sempre de acordo com o previsto. Mas viajar é sempre maravilhoso, não é verdade?

Viajar a dois, então, faz com que esse entusiasmo multiplique e a paixão pelo destino e pela experiência aumente. Viagens em casal, geralmente são românticas, mas, mais do que isso: aproximam o casal, permitem novas trocas, geram novas histórias.

Vem com a gente descobrir alguns motivos para você pegar seu amor pela mão e cair na estrada.

Vocês vão conhecer mais um ao outro

Se vocês estão no início do romance, viajar é uma ótima oportunidade para se conhecerem melhor. Uma viagem a dois demanda que destinos e roteiros sejam definidos em conjunto e curtidos da mesma forma. Isso faz com que vocês conheçam melhor o gosto um do outro.

Se vocês já têm uma história pra contar, a viagem pode ser um momento de redescoberta. Digamos que vocês ainda não tenham viajado durante esse tempo de romance: saber que seu amor prefere um quarto coletivo em hostel no lugar de um quarto privativo de hotel revela muito sobre ela ou ele.

Mais histórias para contar

Imagina vocês dois num restaurante exótico no Centro-Oeste do Brasil ou numa viagem deliciosa de Belém ao Marajó conhecendo as belezas da Amazônia? Cada momento em uma viagem a dois é uma história nova pra contar, pra relembrar.

Vale muito mais a pena investir em uma viagem  do que comprar presentes que no fim das vão só se acumular, concorda? Escolha um destino em que vocês vão descobrir muito – e descobrir um ao outro. Assim, as lembranças serão cheias de pontos altos, com passeios incríveis e experiências maravilhosas.

 

Cumplicidade em cada destino

Montar um roteiro a dois é prova de amor, pode apostar.  Isso por que você vai ter que ceder muitas vezes e seu/sua companheiro(a) também. Prefere explorar a cidade com todos os seus sabores, pulando de restaurante em restaurante e ele(a) prefere conhecer lugares em que a natureza impera? Vocês vão entrar num consenso.

E entrar num consenso é sempre a melhor forma de viajar, por que, pense bem: se você decide ir sozinho(a) fica na sua zona de conforto. Viajar a dois é ver o roteiro e sentir a experiência pelo seu olhar e pelo do seu amor.

Vocês vão se apaixonar de diversas formas

Chegar em um lugar em que vocês dois escolheram, investindo nos passeios com os quais os dois estão de acordo vai fazer com que você se apaixone tanto pelo local visitado quanto pela generosidade do(a) seu/sua parceiro(a).

Quer uma dica? Converse com seu amor desde a definição do destino até a escolha da hospedagem, passando pela decisão do que levar na mala.

Muitos casais que decidem por uma viagem a Belém, escolhem quarto privativo em hostel e têm uma experiência incrível, que mescla a privacidade do tipo de hospedagem em Belém com as vantagens de ficar hospedado em um hostel.

Quer outra dica? Fique ligado nos nossos posts para saber como sua viagem pra Belém pode ser a mais cheia de amor que você vai ter.

 

invista em viajar

Por que viajar é a melhor forma de investir seu dinheiro?

 

 

A decisão de viajar é cercada de algumas incertezas, principalmente quando se diz respeito a dinheiro. Será que é melhor começar a pagar aquele carro? Se a viagem for muito longa, será que é melhor mesmo comprar aquele carro?

Ao fazer seu roteiro, seja para um mochilão em países asiáticos, seja para um tempo conhecendo a Amazônia, a questão financeira sempre vai ser o limitador de muitas coisas. Nessa ideia de conhecer a Amazônia, é o dinheiro que vai definir o tipo hospedagem em Belém – se você visitar a capital do Pará -, por exemplo.

Mas, mais do que um balizador do seu roteiro, o dinheiro – e saber como investi-lo – pode ser, em frente à escolha de uma viagem, um grande professor na sua trip. Entenda porque viajar é sempre uma escolha acertada e saiba como investir na sua viagem pode ser fonte de grandes aprendizados.

 

Porque você vai conhecer outra cultura

Hoje somos mais de 7,6 bilhões de pessoas no mundo, segundo pesquisa da ONU. E, segundo a mesma Organização das Nações Unidas, em 2011 eram mais de  193 países, sem contar os que surgiram, os territórios anexados e por aí vai.

É muita gente, são muitas culturas diferentes, são muitas histórias pra contar. Não sei você, mas a gente acredita que um dos fundamentos da vida é ter boas experiências e histórias fascinantes para passar adiante.

Pois bem, em uma viagem você sempre vai sair da sua casa, com as suas roupas, seus costumes para se apresentar em outro lugar, com outras pessoas – moradores locais ou viajantes como você -, com outros pensamentos. O mínimo que vai sair daí: muita história interessante.

Acredite: seu dinheiro estará muito bem investido em passeios em Belém, num tour pelo Jalapão, do que em alguma outra peça de roupa que, com o tempo, vai se desgastar, não vai te ensinar nada. Lembre-se: experiências sobre objetos.

 

Porque você vai fazer novas amizades

Outra forma de entender a grandiosidade de conhecer novas culturas é saber que, ao conhecer novas pessoas, você vai fazer novas amizades. E isso é fantástico.

Isso porque ao fazer novos amigos de outros lugares você só sai ganhando: prova para si mesmo que seu carisma supera barreiras culturais e que o poder de uma amizade é maior do que qualquer desavença que venha de fronteiras.

Fazer amizades em viagens é bacana tanto para a vida quanto durante a viagem: sendo um viajante solo numa trip pela capital do Pará, por exemplo, você vai ter com quem dividir suas impressões sobre o que comer em Belém, suas dicas de roteiro em Belém, sua hospedagem em Belém – a felicidade só é completa quando dividida.

 

Porque você vai ver o mundo de outra forma

Quando você viaja sai da sua zona de conforto. E isso, também, é maravilhoso. Pensar em sair da sua casa, com novos planos, metas, desenvolve em você uma atitude que pode mudar muita coisa sobre a sua forma de ver o mundo.

Você vai perceber que outros seres humanos têm percepções diferentes das suas sobre um mesmo  assunto. Se você consegue ver isso no escritório onde trabalha, que dirá na casa de um morador local – pense que, enquanto você está viajando, como turista, conhecendo, talvez, os rios da Amazônia, aquelas pessoas que moram ali veem o mundo por outra perspectiva. E elas podem te ensinar.

 

Porque você vai fazer mais dinheiro

Pense em uma verba para gastar no destino da sua viagem: R$1000, por exemplo. Agora, pense nesse mesmo dinheiro sendo investido na parcela de um carro. Ok, pode ser que você precise de um carro, mas pode ser que você consiga ir de bicicleta, transporte público, dividir um carona. Crie estratégia.

Viajar reformula a sua relação com dinheiro, então você começa a ver as atitudes de forma mais funcional do que emocional. Ok, você vai querer levar aquela lembrança que comprou quando foi de Belém à Ilha do Combu pra sua amiga, mas a sua noção de “tenho essa verba que precisa ser investida nisso aqui” e a sensação de que você está em um lugar que não é o seu mesmo, muda a sua forma de agora na hora em que você mexe na carteira. E isso muda tudo.

Quem gosta de viajar e se planeja para isso, invariavelmente passa a ter uma atitude mais econômica, mais assertiva, e, claro, o dinheiro acaba rendendo – ele se transforma no que é: apenas uma ferramenta para chegar ao que importa – novas experiências.

 

Porque você vai ressignificar muita coisa

E quando você percebe que dinheiro serve mesmo para chegar a novos caminhos, você ressignifica muita coisa. “Quando você volta de uma viagem, volta outro” – já ouviu isso, não já? Nada mais real.

Criar novas amizades, conhecer novas culturas, entender que o mundo não se limita somente àquelas perspectivas que você tinha – ou ainda tem – ajuda a entender que ser humano foi feito mesmo pra se relacionar.

E nada melhor que se jogar em locais/culturas novas.

Permita-se andar pelo mundo, conhecer o que não conhece, ressignificar atitudes e investir no que importa. Se tem alguma história bacana sobre sua(s) trips pra compartilhar com a gente, vai ser muito gostoso ler – deixa nos comentários ou fala lá pelo nosso Facebook

 

Leia também:

Dicas para economizar na sua trip.

Aprenda a usar milhas aéreas.

6 apps pra ajudar na sua viagem.

O que se aprende viajando com mãe.

quarto coletivo hostel em belem

Como reservar um quarto no seu hostel em Belém?

 

 

Se na hora de decidir por Belém como destino e de decidir onde ficar nesse destino foi tranquilo pra você, reservar um quarto na hospedagem em Belém que você escolheu não deve ser um problema. Com todos os dados em mãos o passo a passo deve ser fácil.

Já fez o roteiro, escolheu a hospedagem, se organizou, tem um cartão de crédito válido e muita disposição pra curtir uns dias na Cidade das Mangueiras se hospedando no Belém Hostel? Então, vamos lá!

Entre em contato com seu hostel em Belém

Aqui vamos mostrar todas as  maneiras de você entrar em contato com o Belém Hostel para que a sua reserva seja feita da melhor forma, para que você aproveite todos os dias da sua viagem e tenha só lembranças maravilhosas do seu hostel em Belém.

 

Booking

É uma ferramenta que auxilia bastante na hora de reservar. Bem intuitiva,  basta você:

  1. Buscar Belém Hostel
  2. Colocar a data de chegada e a data de saída
  3. Colocar a quantidade de pessoas

Pronto. Você, agora, vai poder escolher o quarto em que vai querer ficar. Pra isso, a gente sugere que você continue lendo pra conhecer cada quarto do seu hostel em Belém.

 

Facebook

Você pode curtir nossa FanPage. Por lá você recebe novidades e sabe do dia a dia do Belém Hostel. Além disso, pode entrar em contato por mensagem e falar com nossa equipe. Você pode começar sua reserva por lá!

 

Site Belém Hostel

Aqui mesmo no site, você também pode falar com a gente e fazer sua reserva. É bem fácil e você pode reservar sua hospedagem em Belém em alguns segundos.

 

Reserve Agora

Pra você começar sua reserva a fazer aqui no Belém Hostel é bem simples: logo na página inicial, a gente tem um botão Reserve Agora. Ao se cadastrar, nossa equipe vai entrar em contato pra tirar suas dúvidas e confirmar os dias que você pediu para reservar.

hostel em belem

Se quiser fazer isso agora mesmo, só solicitar  sua reserva.

 

Tabela de Preços

Você pode baixar nossa Tabela de Preços para confirmar o investimento que vai fazer na sua hospedagem em Belém. Depois de baixar nossa Tabela, fica mais fácil ter certeza na hora de ir para a Reserva.

Nossa Tabela de Preços está bem aqui.

Disponibilidade de Quartos

Caso você tenha dúvidas sobre nossos quartos, pode visitar nossa página de quartos. E, depois, é só visualizar cada um e consultar a disponibilidade de cada um deles deles. Cda quarto tem sua característica específica e, para ajudar você a decidir, vale a pena você saber direitinho qual a melhor forma de escolher um quarto em um hostel em Belém.

Pra facilitar sua vida, veja aqui:

Disponibilidade do quarto Bacuri

Disponibilidade do quarto Lendas

Disponibilidade do quarto Ilha

Disponibilidade do quarto Açaí

Disponibilidade do quarto Carimbó

Disponibilidade do quarto Círio

Fale com a Recepção ou Contato

Na página inicial, você também pode entrar em contato com a gente ou falar direto com a nossa recepção. Das duas formas, você poderá:

  • tirar dúvidas sobre valores
  • perguntar sobre locais turísticos
  • saber sobre como chegar ao Belém Hostel

hostel belem

 

Então, já sabe. Qualquer dúvida mesmo é só chamar a gente, você já tem todos os canais. Aproveita pra receber muitas outras informações sobre lugares pra ir em Belém, hospedagem em Belém, onde comer em Belém e muito mais no nosso blog. Ah, e nos acompanhe no Instagram e no Facebook.

 

Leia Mais:

Lugares fora de rota em Belém

Passeios em Belém que você não pode perder

Comer como um paraense

Como ir de Belém a Ilha do Marajó

A deliciosa viagem de Belém à Ilha do Combu