4 dicas pra chegar e partir da Amazônia com a saúde em dia.

 

 

Muita gente tem vontade de vir pra Amazônia e Belém é uma grande porta de entrada. Muito se procura sobre hospedagem, lugares para conhecer, cidades do interior do Pará, roteiro. E todo bom viajante deve mesmo se preocupar com tudo isso. Mas, pra conseguir fazer tudo isso, a saúde tem que estar em dia.

Quem viaja muito – ou mesmo quem se aventura só de vez em quando – sabe que corpo são, mente sã não é besteira, não. E que estar com a saúde em dia pode evitar muitos problemas durante a viagem, assim como comprovar que está tudo ok. Então, reunimos 4 dicas básicas pra você que quer vir pra Amazônia com tudo em cima.

Aqui você tem mais sobre: saúde na Amazônia, precaução na viagem pra Amazônia, culinária amazônica

 

1. Vacinação

Ter a carteira de vacinação, que comprove que você está com todas as vacinas em dia, é muito importante para viajar pelo mundo. Ao vir para a Amazônia, é importante ficar atento a algumas doenças transmissíveis, que podem ser evitadas.

Febre amarela:

Desde o fim de 2017, vimos um surto de febre amarela no Brasil. A Região Amazônica é uma das áreas do país em que é necessário estar vacinado, por ser uma área endêmica. São pelo menos 10 dias antes de iniciar a viagem. E ela é válida por 10 anos.

Tifoide e Hepatite A: transmitidas por alimentos e bebidas contaminadas. São muito importantes para quem viaja muito e tem contato com tipos variados de alimentação. Prevenir é melhor que remediar, não é mesmo?

 

2. Protetor Solar e desidratação

É muito comum, pra quem vem de fora, sentir muito, mas muito calor em Belém – e na Amazônia de uma forma geral. É um local que, apesar da umidade por causa dos rios e florestas, é muito quente. O sol é realmente forte – as temperaturas chegam perto da casa dos 40 graus nos meses mais quentes (a partir de junho). As queimaduras e insolação podem aparecer, se você não tomar cuidado.

Nessas condições, o protetor solar é seu maior aliado. Tenha sempre em mãos, na bolsa, mochila. Ah, claro, lembre-se que nas viagens internacionais, os aeroportos só permitem embarque com frascos com até 100 ml. Sendo assim, caso você esteja em outro país e vindo pro Brasil pela Amazônia, tome cuidado para o seu protetor favorito – se você tiver um – não ficar retido.

Ah, por favor, água, água e água. Tenha sempre uma garrafa em mãos. E, caso desidrate, faça uso de um soro de hidratação. Você pode encontrar em postos de saúde um composto que tem sódio e açúcar.

 

3. Roupas

Muito mais que o sol, é a sensação térmica que acaba prejudicando na hora de visitar a Região Amazônica. Pode ser até que o sol não esteja aparecendo tanto e que as queimaduras solares possam ficar distantes, mas aquela sensação abafada pode ser muito ruim, se você usar roupas pesadas. Opte por roupas leves, de algodão e que sequem rápido.

 

4. Comida

Isso aqui é muito, muito importante quando se está falando sobre uma região em que tudo é farto à mesa. Por aqui tem Tucupi, uma espécie de caldo, feito de mandioca (super ácido); Maniçoba, um tipo de feijoada em que o feijão é substituído por uma planta (super gordurosa); além de peixes, açaí…comer é um capítulo à parte quando se visita a Amazônia.

Por isso, cuidado: seu organismo pode não estar acostumado à acidez, gordura e fartura dos pratos amazônicos – que são, por falar nisso, deliciosos. Tenha muito cuidado com a procedência dos alimentos também – mas isso, como um viajante experiente você já sabe. Traga com você medicamentos para dor de barriga, diarreia e problemas do tipo. Podem ser bem úteis.

 

Prevenir é melhor que remediar, né mesmo? Sua viagem deve ser boa do começo até o fim, sem surpresas ruins, só boas. Já tá começando a planejar?Consulte nossa tabela de preços para se programar legal!

quais as vantagens de se hospedar num hostel

Quais as vantagens de se hospedar num hostel?

 

 

Se você acha que pra viajar é preciso gastar muito dinheiro com hospedagem, pode esquecer. Faz muito mais sentido diminuir o custo de hospedagem (no lugar de pagar caro por hotel) e aproveitar a grana pra visitar mais pontos turísticos, não faz? No Brasil, o mercado de hostels vem ganhando espaço e se tornando uma opção cool, barata e divertida para os estrangeiros e brasileiros. Quer saber quais as vantagens de se hospedar num hostel?

Aqui você sabe mais sobre:  vida de hostel, mochilar, fazer amizades viajando, economizar na viagem.

 

Conhecer novas pessoas

Dificilmente você vai conseguir conhecer outras pessoas em hotéis, tudo é tão individual. O máximo que pode acontecer é você esbarrar em alguém e rolar um “oi”. Em qualquer hostel, o clima é muito mais descontraído: você divide o quarto com outras pessoas ou, mesmo que seja em quarto privativo, as áreas comuns garantem novas amizades.

 

Economizar dinheiro

Uma das grandes vantagens de ficar nos hostels é o preço. Hospedagem barata, cozinha compartilhada – uma grande vantagem é poder cozinhar sua própria refeição -, vouchers para atrações turísticas. Além disso, você pode conhecer muita gente legal e dividir, por exemplo, um aluguel de carro.

 

Hospitalidade em primeiro lugar

No hostel todo mundo vira família. Tá todo mundo interessado em que você tenha uma ótima hospedagem e as programações são quase sempre compartilhadas, todo mundo acaba se sentindo acolhido para ir aos eventos entre amigos (os novos amigos que você faz no hostel).

 

Aprender a respeitar o espaço dos outros

Talvez seja uma das maiores vantagens de ficar hospedado em hostel, o aprendizado de respeito. Ter seu armário, arrumar e guardar as suas coisas, entrar em acordo sobre o uso da luz, sobre a comida guardada na geladeira. É muito bom pra aprender a se organizar.

Conheça nossos quartos e escolha se prefere os privativos ou os dormitórios.

 

Desapego

Outra lição muito importante é a prática do desapego. Nada muito drástico: geralmente, quando se está viajando, é comum levar algumas lembranças, presentes. E o espaço na mala? Seria legal deixar para os próximos hóspedes algo que você não precise tanto mais. Pode ser um guia, ou mesmo algo que utilizou na cozinha.

 

Trocar experiências com pessoas de outros países

Pode ser um bom momento para começar a aprender aquele idioma. Hostels são conhecidos por agregarem culturas de diversos lugares espalhados pelo mundo. Você provavelmente vai encontrar pessoas da França, Estados Unidos, Guiana e por aí vai! Sempre rola de aprender algumas palavrinhas básicas em outra língua.

 

Se animou para se hospedar em um hostel? A gente aposta que sim. Aproveite pra receber nossa tabela de preços e já começar a programar sua viagem.

6 aplicativos pra viagem ficar mais fácil

 

 

Programar uma viagem – e manter tudo sob controle durante a diversão – pode ser um desafio. Principalmente se você vai fazer uma viagem com a família. Tem muito com o que se preocupar: passagens em conta, roteiro certo, hospedagem econômica.

Pra quem está buscando hospedagem barata, ajuda com o roteiro de viagem, dicas sobre o que fazer, passagens aéreas baratas, entre outros, a gente separou uma 5 dicas de aplicativos (essenciais e que vão além do Google Maps) que podem fazer a diferença na hora de embarcar na sua próxima aventura em família.

Aqui você sabe mais sobre: aplicativos de viagem, economia na viagem, planejamento de viagem, roteiros.

 

Para usar antes da viagem:

#1. Kayak

Esse aplicativo pode ser uma mão na roda quando se você usa com antecedência à sua viagem. Ou seja: se você já está se programando, ele é ideal pra orientar a hora certa de comprar a passagem aérea barata que você procura. Ainda permite que você verifique hospedagem e outros itens do local que você pretende visitar.

#2. Rome 2 Rio

Está programando o roteiro e quer saber tempo e valores para chegar de uma localidade a outra? Melhor: quer saber como chegar mais rápido, com menor custo? Pergunte ao Rome 2 Rio. Ele te dá todas as opções, com roteiros de passagem bem adequados.

Quer saber como ir de Belém ao Marajó? Explore mais em nosso post.

#3. Google Trips

Tenha tudo no seu e-mail e com o máximo de organização: basta inserir as informações de sua viagem e ele, além de organizar no seu Gmail, oferece opções de itinerários e roteiros.

#4. Packpoint

Este é um verdadeiro organizador. Tem que dar conta da sua bagagem e da bagagem de sua família, além de programar o melhor destino e atividades a fazer nesse lugar? Este aplicativo ajuda a criar uma lista de o que levar na sua mala, na viagem.

 

Para usar durante a viagem:

#5. Around Me

Um aplicativo ótimo para você localizar o que precisar e estiver perto. Caso você queira encontrar um banco, restaurante, cinema, hospital, o Around Me é ótimo: basta buscar e ele oferece uma lista pra você escolher.

#6. Live Despesas

Ideal para o controle do seu dinheiro. Com ele é possível estipular o valor que você quer/pode gastar e quanto está gastando durante a viagem. Controle os preços e gastos com passeios, alimentação, hospedagem, entre outros.

Com essa ajuda ao alcance das suas mãos, viajar em família pode se tornar mais econômico, tranquilo e divertido. Comece a se programar para sua próxima viagem.

Se está pensando em começar a se programar uma viagem à Amazônia, consulte nossa tabela de preços em Belém e já comece a pesquisar como fazer uma viagem perfeita, nos aplicativos.

Como ir de Belém à Ilha do Marajó?

A Ilha do Marajó, no Pará, é um dos destinos turísticos mais procurados do mundo! Famosa pelas praias paradisíacas e pelos iagarapés de água fria, a Ilha também conta com uma população bubalina gigante e um acervo tradicional de cerâmica.
Aqui, você vai encontrar dicas preciosas para quem quer embarcar nessa viagem rumo a região dos campos, no Marajó. Vem junto!
Aqui você sabe mais sobre: Marajó, melhor embarcação, viagem pelos rios da Amazônia, bem-estar na viagem

Vamos começar

Belém é o ponto de partida, cidade de onde saem os barcos e as lanchas em direção à Ilha. Se você vem de outro estado, fique ligado. Como são poucos os horários e a quantidade de embarcações que fazem o trajeto, vale a pena chegar um dia antes da viagem, para planejar melhor – e conhecer a capital do Pará.
É importante também escolher hospedagem próximo ao Terminal Hidroviário de Belém, de onde começará a sua viagem rumo ao Marajó.  O primeiro barco sai às 6h30 da manhã. Por isso, estar próximo é um diferencial!

Organização antes da viagem

Assim que chegar em Belém, vá com antecedência ao Terminal para se informar sobre as opções de horários, tipos de embarcação e, de preferência, compre logo a sua passagem. É importante levar em consideração que os guichês de venda de passagem funcionam de forma independente em horários não tão regulares. Por isso, quanto antes você buscar resolver a compra da passagem, melhor.
Entenda que, dependendo das circunstâncias de tempo, nível de água dos rios e época do ano, os horários das embarcações, em especial os dos catamarãs, podem sofrer modificações. Mais um argumento para reforçar o seu foco no planejamento anterior e evitar estresse desnecessário durante a viagem.

Qual embarcação escolher?

A melhor resposta é: depende. Se você considerar a hora de chegada à Ilha, a escolha das opções é indiferente, pois ambas as embarcações chegam quase ao mesmo tempo. A diferença está na duração da viagem e na hora de partida. A viagem de navio é mais demorada, mas o horário de saída é bem mais cedo. O catamarã, ou lancha, tem uma viagem mais rápida, porém o horário de saída é um pouco mais tarde.
Se você escolher ir de navio, considere que há dois horários de saída durante o dia. Um pela manhã, por volta de 6h30, e outro à tarde, às 14h30. Após 3 horas de viagem de barco, você vai desembarcar em um porto na localidade de Camará. Ao chegar lá, será necessário pegar uma condução (geralmente van) para a cidade que você escolher (Soure, Salvaterra, Joanes, etc).

Rapidez, conforto e bem-estar

Uma informação muito importante para quem não está acostumado a viajar de barco: a viagem de navio é mais lenta, a embarcação é maior e mais estável e, por isso, sente-se um pouco menos a força e o balanço da maré. Então, se você sofre com isso e costuma sentir muito enjôo viajando em água, talvez deva considerar escolher esta opção para chegar à Ilha.
Agora, se você não tem tanto problema com isso e prefere uma viagem mais curta, escolha o catamarã. Só tem horário de manhã e, geralmente, é entre 8h e 9h. Dá até tempo de tomar café no hostel ou pousada onde estiver hospedado e sair pronto para aproveitar a trip.
A vantagem do Catamarã é a duração da viagem, que é mais rápida. Além do conforto: as lanchas têm ar-condicionado e wi-fi a bordo (nem sempre funciona, mas vai que você tem sorte). Algumas opções também vão pro porto de Camará e, nesse caso, você deve completar a viagem com a van. Mas também existem aquelas que te deixam diretamente em Soure ou Salva-terra, as cidades mais conhecidas da Ilha.
E aí, preparados para viver essa aventura e conhecer o Marajó? Deixe nos comentários as suas dúvidas ou dicas, caso você já conheça esse paraíso!
Quer se hospedar em Belém? Clique aqui e receba nossa tabela de preços.