4 viagens pelos rios da Amazônia que todo mochileiro deve fazer.

4 viagens pelos rios da Amazônia que todo mochileiro deve fazer.

9 de março de 2018 Sem categoria 0

 

 

Horas, ou melhor, dias dentro de um barco vendo paraísos naturais e vida selvagem. É assim uma viagem em um rio da Amazônia. Essa é, com certeza, aquela aventura que todo mochileiro que se preze deveria fazer

Aqui você vai saber mais sobre: como sair da capital, qual barco pegar pra navegar nos rios da Amazônia, quais os cuidados que você deve ter e, principalmente, o que você não pode perder ao visitar os rios amazônicos. Embarca nessa com a gente.

Aqui você sabe mais sobre: rios amazônicos, viagem pela Amazônia, embarcações na Amazônia

De onde sair?

Aí você planejou sua trip, pensou no roteiro e montou a mochila. Tá morrendo de vontade de conhecer a Amazônia a fundo, cada canto da região. Nada melhor que enveredar pelos rios. Ah, isso é algo que você vai logo ver: os rios na Amazônia são suas estradas – todo mundo se movimenta sobre as águas.

O ponto de partida deve ser uma capital. Então, se você vem de outro estado ou país, a primeira coisa a pensar é “como chegar na capital?”. A capital geralmente é a cidade portuária principal de cada estado e é interessante que você comece a trip de uma delas pra poder se abastecer e comprar os utensílios necessários para a viagem, afinal os trajetos são longos e você vai precisar ter o mínimo de estrutura para atender às suas necessidades. Por isso, pesquise viagens de avião ou mesmo de ônibus para partir da capital.

Existem algumas cidades no interior da Amazônia cuja estrutura pode ser bem precária. Sendo assim, pode ser difícil encontrar alguns itens específicos ou mesmo gerais, como certos medicamentos, protetor solar, entre outros. Esteja certo de que está levando tudo que você necessita, inclusive dinheiro: tenha dinheiro em espécie, nunca dependa de cartões e caixas eletrônicos, combinado?

Belém (PA), Manaus (AM) e Santana(AP)

Entre as opções, as maiores e mais recomendadas cidades portuárias da região são Belém e Santarém (PA), Manaus (AM) e Santana (AP). Uma dica importante é pesquisar o que você pode encontrar nessas cidades, assim você aproveitar para conhecer outros lugares antes de embarcar na aventura.

Após definir o local de partida, hospede-se próximo ou em uma área de fácil acesso aos portos de onde saem os barcos. Dessa forma, aumentam as suas chances de evitar imprevistos desagradáveis, uma vez que os horários e dias de viagem não são lá muitoregulares.

Há coisas que você não pode deixar de levar nessa viagem, como por exemplo alimentos não perecíveis, caso não tenha estrutura própria para armazenar. Você bebe ou fuma? Recomendamos que leve uma garrafa de destilado e a quantidade que julgar necessária de cigarros, pois só há uma opção de venda no barco e geralmente os preços são mais caros do que o normal.

Have fun!

Um ponto importante: entretenimento! Livros, jogos, baralho e otras cositas más para passar o tempo são essenciais. Ah, claro: esteja disposto a fazer amigos! O percurso entre Manaus e Belém, por exemplo, dura em média 5 ou 6 dias! Por isso, converse com as pessoas ao seu redor, participe das festinhas que existem durante a noite. Essas embarcações têm em média capacidade para 200 pessoas. Quem sabe não é uma delas que vai te ajudar a conhecer ainda melhor uma das localidades?

Nos navios, há duas formas de acomodações. Camarotes – bem mais caros – e a rede. Sim, a maioria das pessoas opta por essa opção mais econômica. Logo, todo mundo tenta chegar um pouco antes para escolher um bom lugar onde atar a rede. Tente chegar pelo menos uns 20 minutos antes da viagem: é sempre bom se antecipar e evitar surpresas.

Uma vez planejada a trip, chegou a hora de escolher o percurso e quais lugares conhecer na Amazônia.

 

 #1. De Belém a Breves: o outro lado da Ilha do Marajó.

Muita gente de todo o mundo sonha em conhecer a bucólica ilha do Marajó. Praias paradisíacas, mangues, um povoado acolhedor, mangueiras centenárias e uma população de mais de 600 mil búfalos fazem com que a maior ilha fluvial do mundo seja destaque e destino certo entre os principais guias internacionais de viagem.

O caminho até Breves é sensacional. São, em média, 12 horas de navio entre Belém e Breves. A paisagem é incrível e super diversa, uma vez que a ilha é banhada pelo rio Amazonas, Rio Pará e Oceano Atlântico. Em Breves, é possível conhecer uma realidade diferente e autêntica. Lá vocês não vão encontrar praia, mas o mar de florestas, igarapés, riachos e muita gente acolhedora, é de tirar o fôlego. A gente avisa que Breves é roots, cru: um lindo cenário, mas com todas as contradições sociais existentes na Amazônia e no Brasil.

Para saber qual a melhor embarcação pra ir de Belém a Marajó, clique aqui!

#2. Afuá, no Marajó – a Veneza da Amazônia!

Uma cidade inteira sobre as águas do Rio Amazonas. As ruas são de ponte e os transportes são bicicletas, literalmente. No Afuá, táxi e ambulância são bicicletas adaptadas para circular entre as pontes. Se você sonha com aqueles dias de puro descanso, sem preocupações e só lazer, acordar comendo peixe frito, ver o pôr do sol tomando açaí e comendo camarão antes de  dormir, na mais absoluta calmaria, Afuá é seu destino certo.

São 24 horas de barco de Belém à Santana, no Amapá. Depois de contemplar um pôr-do-sol amazônico incrível entre cenários formados pelo que há de mais exuberante da fauna e flora da maior floresta tropical do mundo, você chegará à Santana, a segunda maior cidade do Amapá.

Uma cidade mediana sem muitos atrativos turísticos, mas que tem um grande diferencial: é uma das únicas cidades brasileiras às margens do rio Amazonas. Aí, é só pegar o próximo barco rumo ao Afuá e desfrutar de todos os benefícios que a cidade marajoara pode te oferecer. Sensação similar você só vai encontrar em Alter-do-chão, no Pará.

 

#3. Alter do Chão: a praia de água doce mais linda do mundo!

A praia mais linda que você respeita. Eleita pelo jornal inglês The Guardian como a praia de água doce mais bonita do mundo, Alter do Chão é um vilarejo localizado em Santarém, na região oeste do Pará. Além das dezenas de praias do lugar, o vilarejo também está próximo da FLONA, um imenso pedaço da Amazônia preservado e protegidos pelas autoridades brasileiras.

Um detalhe importantíssimo: a viagem de Belém a Santarém é reconhecida por ter o trajeto mais bonito, devido às características geográficas da região. Isso faz com que os 3 dias de viagem sejam insuficientes para viver essa experiência. Alter do Chão-  também conhecida como caribe amazônico – é famosa por abrigar o Festival de Sairé, disputa folclórica entre os botos rosa e tucuxi, tradicionais da região.

 

 #4. Belém-Manaus: 6 dias pelo maior rio do mundo!

Eis um dos destinos mais procurados. A viagem de Belém a Manaus é a mais longa de todas. Pra você ter uma ideia, Breves e Santarém completam, juntas, apenas a metade do caminho. No total, são 6 dias de barco navegando pelo rio Amazonas, em média. Quer saber aonde ver botos nadando na Amazônia? Por aqui mesmo: essas e outras surpresas são os grandes atrativos dessa trip.

Como é uma viagem de longa duração, o tempo sobrará para que as pessoas se conheçam, o que torna a viagem ainda mais enriquecedora, uma vez que eleva o background cultural. Isso porque Belém-Manaus de barco é um dos mais desejados e procurados por viajantes de todo o mundo e costuma a atrair pessoas de diferentes países e com os mais diversos costumes.

 

E aí, curtiu? Vai curtir? Toda viagem de rio deve ser preparada e bem pensada.

Se vai começar a sua trip em Belém e quer mais informações sobre hospedagem, fale com a nossa recepção. Vai ser muito legal fazer parte das suas memórias. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta