3 passeios em Belém que são obrigatórios

3 passeios em Belém que são obrigatórios

26 de março de 2018 Sem categoria 0

 

 

Depois de decidir vir pra Amazônia, organizar as finanças, comprar as passagens é hora do roteiro. Sério, essa é umas das partes mais legais antes de viajar: montar o roteiro. Por isso, a gente resolveu separar alguns pontos indispensáveis na sua visita a Belém.

Qual a sua vibe? Curtir festas, a night? Quer respirar ares mais verdes? Conhecer um pouco de história, talvez. Aqui nesse post você vai saber mais sobre: arquitetura em Belém, história, natureza urbana, bares, cultura.

 

1 . História e Arquitetura na Cidade Velha

Belém é cheia de prédios históricos, a arquitetura é uma viagem a parte. Tem uma área específica da cidade que acumula construções lindas. A Cidade velha é o bairro mais antigo de Belém, foi onde a cidade “nasceu”. Ela tem vários prédios coloniais históricos, com azulejos portugueses – muitos desses prédios são tombados pelo IPHAN.

Comece pelo Ver-o-Peso, que ainda não é Cidade Velha, mas é quase chegando lá – o Ver-o-Peso está na divisa entre o Comércio e a Cidade Velha. É a maior feira a céu aberto da América Latina e é aonde você vai encontrar muita comida típica pra consumir na hora, peixes, ervas, produtos medicinais, entre outros.

A Casa das Onze Janelas e o Forte do Castelo são dois pontos essenciais da arquitetura e da história da cidade. O último ainda preserva canhões originais do Forte da cidade e a Casa foi erguida no século XVIII, já tendo funcionado restaurante e museu. A vista é linda.

Os Palácios Antônio Lemos, Lauro Sodré, Pinho e Palácio Velho estão todos na Cidade Velha. O Palácio Antônio Lemos abriga o Museu de Artes de Belém e o Lauro Sodré tem o Museu do Estado do Pará. Todos eles são pontos turísticos e uma aula de história.

As Igrejas da Cidade Velha também são obrigatórias no seu rolê pelas lembranças culturais e arquitetônicas de Belém. Visite a Igreja da Sé (uma das igrejas da procissão do Círio, juntamente com a Basílica) e a Nossa Senhora do Carmo.

 

2 . Natureza: o Mangal das Garças e o Portal da Amazônia

A cidade inteira é verde, não é a toa que é chamada de Cidade das Mangueiras. Então, se essa é sua vibe, vai aproveitar muito por aqui. A flora, mesmo dentro de Belém, na área urbana, é muito bonita. Aproveite pra ver as praças que são cartões postais, como a Praça Batista Campos e a Praça da República, ambas na área central de Belém.

O Mangal das Garças é um parque naturalístico com mais de 40.000 metros quadrados. Lá, é possível ver guarás, garças, um borboletário com mais de 800 exemplares. Além disso, ele tem um espaço em que você pode apreciar joias produzidas com gemas da Amazônia (produção feita no Polo Joalheiro, um espaço que foi um presídio e há alguns anos e um lugar reconhecido de produção de joias). Além disso, você tem acesso a um mirante com vista completa da cidade e o Museu Amazônico da Navegação.

Outro local de apreciação da natureza é o Portal da Amazônia, que é mais recente que o Mangal das Garças. Um espaço aberto em que passam carros e com uma construção na orla, com bares e restaurantes, além de quadras de esporte. Um lugar perfeito para observar o por-do-sol e curtir o vento.

 

3 . Cultura e noite: aprecie a música local

Tudo depende de como você planejou sua trip,mas separamos um rolê mais leve, à tarde e dois outros pra você curtir à noite. Todos com uma pegada que vai levar você a uma viagem pela música tipicamente paraense.

Então, à tarde, você pode ir à Estação das Docas, que fica próxima ao Ver-o-Peso, lá no fim do espaço e comprar um ticket para embarcar numa experiência interessante: atravessar o rio ouvindo e vendo uma roda de carimbó. A empresa que faz o tour é a Vale Verde Turismo – que tem outros tipos de viagens também. É muito bacana: uma apresentação em que os dançarinos interagem com o público, tendo a natureza como pano de fundo, enquanto você navega. Vale Verde Turismo: (91) 3218-7333

Mas, para curtir a música latina e paraense com pé no chão, dançando e tudo mais, a gente indica o Coisas de Negro, que fica em Icoaraci – um espaço cultural em que o carimbó impera. Bem conhecido na cidade, o Coisas de Negro tem sempre muita gente jovem e é reconhecidamente um espaço para conhecer mais da cultura musical amazônica. Coisas de Negro: (91) 3247-8702

Por último, no centro de Belém rolam festas de guitarrada – um outro ritmo típico da Amazônia – no Fiteiro. Aberto mais recentemente, já tem se transformado em referência. Fique atento pra festa Lambateria, que reúne artistas locais e é bem badalada, com muitos sons da terra. Fiteiro: (91) 3224-0075

 

Já montou seu roteiro pra Cidade das Magueiras? Isso é um pouco do que você pode fazer por aqui. Se quiser um rolê mais natureza Amazônia a dentro, leia nossos post sobre como chegar ao Marajó. Caso ainda não tenha reservado hospedagem, clica aqui pra receber nossa tabela de preços.

 

Deixe uma resposta